MPV e a Responsabilidade Total!

MPV e a Responsabilidade Total!

Olá, Amigos!

Tudo bem com vocês?

Antes de mais nada, desejo a todos um domingo muito feliz e abençoado!

Quero lhes contar uma história hoje, pode ser?

Era uma vez um hospital no qual havia uma ala de pacientes criminais psiquiátricos. Lá estavam trancafiados em celas cerca de trinta homens, cujas mentes insanas faziam deles pessoas perigosíssimas, e daquele lugar, um espaço sombrio e indesejável.

O fato é que ninguém queria trabalhar ali. Quem chegava lá para exercer alguma função – de médico, psicólogo, enfermeiro etc. – dificilmente durava mais de um mês naquele serviço. Todos pediam para sair, pois o clima era o pior possível e ninguém aguentava a pressão. 

Eis que um novo psicólogo foi contratado. Seu nome era Hew, e ele fez um trato inusitado com a administração do hospital que o contratara: assumiria a ala psiquiátrica, mas não iria manter nenhum contato direto com os seus pacientes. Como estava mesmo muito difícil encontrar alguém para aceitar aquele trabalho, acabaram concordando. 

Tudo o que ele pediu foi uma sala com uma escrivaninha para estar, e para poder analisar os prontuários dos seus novos pacientes. 

O Dr. Hew tinha um plano em mente. Ele pretendia “tratá-los” usando uma teoria no mínimo muito estranha: a de que ele próprio era – de alguma forma – pessoalmente responsável pela loucura e agressividade dos seus pacientes.

Ele tinha a perfeita compreensão do conceito de “responsabilidade total”, mediante o qual cada ser humano é, em nível pessoal, diretamente responsável por todas as circunstâncias que o cercam. Inclusive por aquelas que não nos agradam. 

Assim, acreditava o Dr. Hew que, curando a si mesmo por aquilo de que se admitia responsável, traria também a melhor solução para as mais diversas situações que o rodeavam.

E o método que ele utilizou para “curar-se”, esse sim, é que foi realmente inusitado... Dr. Hew pegava as pastas com todas as informações dos seus pacientes, olhava para as fotos de cada um deles, e repetia, várias vezes ao dia, quatro pequenas frases: sinto muito, me perdoe, eu te amo, sou grato.

Ao dizer sinto muito, ele reconhecia que fazia parte do problema, e lamentava por aquela situação difícil em que seus pacientes se encontravam naquele momento.

Ao dizer me perdoe, Dr. Hew novamente assumia a responsabilidade por aquelas circunstâncias e pedia perdão a si mesmo por ter colaborado para que elas tivessem se formado.

Ao dizer eu te amo, ele realizava uma troca de energia. Ora, bastava aproximar-se daquela ala a primeira vez, e todos ficavam muito abalados. Ali, tudo era extremamente negativo. A frase eu te amo implicava substituir aquela negatividade toda por uma energia positiva, que passava a ser desbloqueada e começava então a fluir, e a agir no problema.

Finalmente, ao dizer sou grato, ele agradecia a si mesmo pela oportunidade de viver esta experiência de curar-se e, desta forma, de colaborar também com a cura daquelas pessoas.

Vejam aí se vocês entenderam: o “tratamento” do Dr. Hew consistia simplesmente em olhar para a foto dos seus pacientes, pensar neles e repetir, várias vezes por dia, as frases sinto muito, me perdoe, eu te amo, sou grato

O resultado foi que, com o passar dos meses, algo de surpreendente ocorreu naquela ala psiquiátrica.

Gradativamente, os pacientes foram apresentando uma melhora nos seus quadros psicóticos. Algo absolutamente improvável estava acontecendo, e ninguém sabia explicar o porquê, uma vez que nenhum novo medicamento estava sendo ministrado àqueles pacientes!

Ademais, o novo psicólogo nem sequer se aproximava deles para conversar. (Pelo contrário: parecia também ser meio louco, pois passava a tarde trancado na sua sala, falando sozinho...)

Para resumir, três anos após o Dr. Hew ter assumido aquela missão, a ala psiquiátrica foi desativada. Todos os pacientes haviam recebido alta, completamente curados. Eram homens novos e saudáveis. Estavam recuperados e prontos para o convívio em sociedade. 

Essa história que lhes contei é verídica. Quando tomei conhecimento dela, há alguns meses, passei a refletir seriamente sobre o quanto eu vivia distante desta tal de responsabilidade total. 

A minha prática – e creio que a da maioria das pessoas – era sempre a de buscar culpados pelas circunstâncias adversas da minha vida. Hoje, busco pensar de outra forma. Estou, embora ainda novato nesta atitude, tentando viver esta nova filosofia.

Quando idealizei o Motivação Para Vencer, não tive dúvidas: pensei imediatamente em trazer para a nossa meditação guiada um breve momento, em que trabalharemos esta nova dimensão de responsabilidade!

O que faremos é bem simples: mentalizaremos situações comuns na vida de um concurseiro, das quais normalmente vivemos a nos queixar e a culpar terceiros, e daí, ao pensarmos nelas, simplesmente repetiremos: sinto muito, me perdoe, eu te amo, sou grato.

Querem ver um pedacinho do texto que vocês vão ouvir da minha voz enquanto estivermos no momento da meditação da manhã? Vejam:

“Por meus familiares, meus pais, meus irmãos e irmãs, meu marido ou minha esposa, meu companheiro ou companheira, que nem sempre me apoiaram ou me incentivaram quando eu mais necessitava de ajuda, eu digo: sinto muito, me perdoe, eu te amo, sou grato.”

Esta aí acima é só uma das “estrofes” que mentalizaremos, de um total de sete. 

Vejam vocês, meus amigos e minhas amigas, que cada momento e cada palavra proferida ao longo dos vídeos do Motivação Para Vencer foram cuidadosamente pensados e escolhidos! Tudo ali tem um claro propósito de agir de alguma forma na nossa vida, a fim de nos trazer um crescimento e uma mudança de atitude mental.

Hoje, dia 30 de julho, é o penúltimo dia para vocês se inscreverem na turma inaugural de agosto do MPV, e poderem usufruir de todo este manancial de ferramentas riquíssimas que preparamos especialmente para vocês!

Por menos de dez reais por dia, vocês irão experimentar algo novo em suas vidas! E desta experiência, sairão enriquecidos, sairão mais fortes e mais centrados! Sairão mais autoconfiantes! E, certamente, sairão mais bem preparados emocionalmente para seguir em frente na sua jornada de preparação para os concursos que almejam!

Lembrem-se de que este valor promocional, de apenas R$ 199,90, valerá exclusivamente para esta primeira turma do MPV, a de agosto, cujas inscrições se encerram amanhã! 

Deixar sua matrícula para a última hora é algo, no mínimo, muito arriscado. Qualquer imprevisto pode acabar deixando alguém de fora desta primeira turma. E aí não terá outro jeito, senão esperar pela turma de setembro, e perder o desconto de 60% que está sendo oferecido agora.

Saia da inércia. Tome esta providência em sua vida, de fazer algo novo por si. Garanta a sua vaga no Motivação Para Vencer, pois já começaremos depois de amanhã!

E para quem ainda não assistiu ao vídeo de apresentação do projeto, basta clicar aqui, para saber mais detalhes, Ok?

Estamos juntos!

Um forte abraço a todos!

E fiquem com Deus!

Prof. Sérgio Carvalho

olaamigos@gmail.com