Republicans claim to have made progress towards tax reform

Republicans claim to have made progress towards tax reform

Hello, Sweets!

Are you fine? I hope so! Dears, que tal começarmos a nossa week com uma tradução de mais um texto diretamente do economist com muitos taxes (impostos) & cia para aquecer o nosso vocabulary? Ei-lo logo abaixo!

Enjoy it!

Kisses and have a nice week!

Clésia Maia

E-mail: clesiamaia@gmail.com

Facebook: clesiamaia@gmail.com


Republicans claim to have made progress towards tax reform

But in reality, they are promising more than they can deliver

Democracy in America

Jul 27th 2017by H.C. | WASHINGTON, DC

Os republicanos afirmam ter feito progresso na reforma fiscal

Mas na realidade, eles estão prometendo mais do que podem oferecer

Democracia na América

27 de julho de 2017 por H.C. | WASHINGTON DC


THE thing about Donald Trump’s tax plans, writes Alan Cole, of the Tax Foundation, a think-tank, is that they get “progressively less detailed” over time. Almost two years ago Mr Trump released a fanciful but relatively detailed plan for lower tax rates. After he won the Republican nomination, this went through several more iterations, but confusion over some of the details crept in. Once in office, Mr Trump’s administration produced a list of “principles” that would underpin tax reform, such as a promise to reduce the number of income tax bands. Today Steve Mnuchin, Mr Trump’s treasury secretary, Gary Cohn, his economics adviser, and Republican leaders from both houses of Congress released a still shorter set of principles on which they all profess to agree. Despite the apparent regression, they have promised to start the ball rolling on reform in the autumn.

O que diz respeito aos planos tributários de Donald Trump, escreve Alan Cole, da Fundação Tributária, um grupo de pesquisa, é que eles estão "progressivamente menos detalhados" ao longo do tempo. Há quase dois anos, o Sr. Trump lançou um plano extravagante mas relativamente detalhado para menores taxas fiscais. Depois que ele ganhou a nomeação republicana, isso passou por várias outras iterações, mas a confusão sobre alguns dos detalhes surgiu. Uma vez no cargo, a administração do Senhor Trump produziu uma lista de "princípios" que sustentariam a reforma tributária, como uma promessa de redução do número de faixas tributárias de renda. Hoje, Steve Mnuchin, o ministro da fazenda do Sr. Trump, Gary Cohn, seu assessor de economia e líderes republicanos de ambas as câmaras do Congresso lançaram um conjunto ainda mais curto de princípios em que todos professam concordar. Apesar da aparente regressão, eles prometeram dar um pontapé na reforma no outono.


The statement is most notable for what it rules out. Republicans have agreed that they will not border-adjust the corporate tax. This would have meant taxing imports and subsidising exports, but in a way that, in theory at least, should not have distorted trade flows. Border-adjustment had divided Republicans and sparked furious opposition from industries that relied on imports, such as retail. Agreeing to ditch it is, superficially, a step towards a deal. But it brings another problem to the fore. Because America exports less that it imports—that is, it runs a trade deficit—border adjustment would have raised over $1.2trn over a decade, according to the Tax Policy Centre, a think tank. The House leadership had planned to use that money to help pay for tax cuts. Now, Republicans must find the cash elsewhere.

A declaração é mais notável para o que exclui. Os republicanos concordaram que não irão ajustar o imposto sobre as empresas de fronteira. Isso significaria tributar as importações e subsidiar as exportações, mas de uma maneira que, na teoria pelo menos, não deveria ter distorcido os fluxos comerciais. O ajuste fiscal de fronteira dividiu os republicanos e provocou uma oposição furiosa das indústrias que dependiam das importações, como o varejo. Concordar com o descarte é, superficialmente, um passo em direção a um acordo. Mas traz outro problema à tona. Como a América exporta menos do que importa - ou seja, corre um déficit comercial - o ajuste da fronteira aumentaria em US $ 1,2 trn ao longo de uma década, de acordo com o Centro de Política Tributária, um grupo de pesquisa. As lideranças da Câmara planejaram usar esse dinheiro para ajudar a pagar cortes de impostos. Agora, os republicanos devem encontrar o dinheiro em outro lugar.


That they do so is particularly important because the statement also promises to use “regular order” to pass a bill. This means foregoing the “reconciliation” process that allows tax and spending bills to pass the Senate with just 51 votes. Instead, they will need 60 votes, and hence some Democratic support, to avoid a filibuster. That will be a tall order if the bill cut taxes deeply for the rich - as plans penned by Republicans and by Mr Trump tend to do—and especially if it widens deficits to pay for such cuts. 

Que eles fazem isso é particularmente importante porque a declaração também promete usar "ordem regular" para aprovar um projeto de lei. Isso significa que antecede o processo de "reconciliação" que permite que as contas fiscais e de gastos sejam aprovados no Senado com apenas 51 votos. Em vez disso, eles precisarão de 60 votos, e, portanto, de apoio democrático, para evitar uma obstrução parlamentar. Essa será uma ordem alta se o projeto cortar os impostos intensamente para os ricos - como os planos escritos pelos republicanos e pelo Senhor Trump tendem a fazer - e especialmente se aumentar os déficits para pagar esses cortes.


Any bipartisan reform would probably instead focus on changing the structure of the corporate tax code to discourage firms from shifting their headquarters overseas or stashing profits offshore, problems that both parties lament. Border-adjustment would have removed the perverse incentives; Republicans say they have another fix up their sleeves. A deal might also deliver lower taxes primarily for middle-earners. The statement promises “tax relief for American families”, but there has long been a gap between Republican rhetoric on the distribution of income tax cuts and the reality of their plans. Mr Mnuchin promised months ago that there would be no absolute tax cuts for the higher earners. Yet Mr Trump ran on a tax plan whose benefits were tilted sharply towards the rich.

Qualquer reforma bipartidária provavelmente se concentraria em mudar a estrutura do código tributário corporativo para desencorajar as empresas de transferir sua sede para o exterior ou esconder lucros no exterior, problemas que ambos os partidos lamentam. O ajuste fiscal de fronteira teria removido os incentivos perversos; os Republicanos dizem que eles têm outro para arrumar suas mangas. Um acordo também pode gerar impostos mais baixos principalmente para pessoas com um nível médio. A declaração promete "alívio fiscal para famílias americanas", mas há uma longa lacuna entre a retórica republicana sobre a distribuição de cortes nos impostos e a realidade dos seus planos. O Sr. Mnuchin prometeu meses atrás que não haveria cortes de impostos absolutos para os assalariados mais elevados. No entanto, o Sr. Trump dirigiu um plano tributário cujos benefícios foram inclinados bruscamente para os ricos.


A cynical view is that Republicans know they cannot pass their desired tax policies under regular order (that is, with Democratic support). But Senate rules mean they can only work on one reconciliation bill at a time, and they may need longer to work on repealing Obamacare. In the meantime, they lose nothing from pressing for bipartisanship. If and when reform fails, they can blame Democrats’ intransigence. A temporary tax cut, passed next year as a reconciliation bill, remains the most likely outcome.

Uma visão cínica é que os republicanos sabem que não podem passar suas políticas fiscais desejadas sob ordem regular (isto é, com apoio democrático). Mas as regras do Senado significam que só podem trabalhar em um projeto de reconciliação de cada vez, e talvez eles precisem de mais tempo para revogar o sistema de saúde criado por Obama. Enquanto isso, eles não perdem nada em pressionar o bipartidarismo. Se e quando a reforma falhar, eles podem culpar a intransigência dos Democratas. Um corte temporário de impostos, aprovado no próximo ano como uma conta de reconciliação, continua sendo o resultado mais provável.


Fonte: https://www.economist.com/blogs/democracyinamerica/2017/07/dead-bat